segunda-feira, 1 de maio de 2017

doce fruto


No desbravar do teu corpo,
ao livrar-te das vestes
acontece um desconchavo
entre nós.

Teu mastro é o fruto
que minha boca deseja,
que a língua saboreia
quando o abocanho.

Sinto, entre minhas e tuas coxas,
verão e inverno, fogo e dilúvio
e morremos afogados  em gozo.


fogosinha

6 comentários:

  1. Uauuuuu, adorei amiga!!!Esse doce fruto deixa-nos com água na boca, beijos!

    ResponderExcluir
  2. HUMMMMM..nada como um fruto polposo de gomos bem carnudos...
    Um texto magnifico...deixou-me a latejar de...
    Beijos VORAZES

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Darkness, agradeço por apreciar... gostei da reação;;;rsrs
      Bjs!

      Excluir
  3. Um doce fruto que põe os homens doidões, kkkkkkkkkkk

    Bjos

    ResponderExcluir
  4. Sedução de poema. Gostei de verdade
    .
    Deixo cumprimentos

    ResponderExcluir