terça-feira, 28 de março de 2017

Boca gulosa





























Boca quente e faminta
Ao prazer não se limita
Sem pejo, acolhe teu jorro
Uma língua habilidosa

Um falo de cabeça brilhosa
Que coisa tão gostosa
Um mastro devorador
Mãos de fada, acariciam com amor

Estremeces e desfazes-te
Nesse deleite profano
De um gozo franco e pleno.
Tesão consumado!


Fogosinha

sábado, 25 de março de 2017

Conhecendo a Espanhola


Conhecendo a espanhola
Há mulher que acha feio
Um mastro enregecido
Mas se toca-lhe o seio
Tal pensamento é esquecido

Por isso vou lhe mostrar
Como um caralho e duas bolas
Numa espanhola de arrepiar
Fode, goza que se esfola



Vai e vem entre os peitos
A pika quase gozando
A boca alcança sem jeito
E a boceta latejando

Três dedos na rachada
Meu cuzinho fica a piscar
Estou mais que tarada
Para na rola me enterrar

Lamber os culhões e chupar
Que prazer o macho sente
Quando me convida virar
Prá um sessenta e nove quente

Fico doida de tesão
Vendo o macho punhetar
A minha boceta vulcão
Cresce o grelo e quer gozar

Peço-lhe uma boa roçada
Da regada para o cuzinho
Vendo a bunda arreganhada
Já quer meter no bicinho

Mas enfim, é na boceta
Que ele fode sem parar
Socando forte a caceta
Me matando de gozar.

Fogosinha
********

Ponto G, obrigada pela interação, conterrãnea

Eita que mulher fogosa
Gosto de ver assim
Delirante quando goza
Se eu fosse homem queria você pra mim.

Ponto G Femenino

**********
Interação do Poeta Miguel Jacó, 

A mulher Paraibana,
Tem o seu diferencial,
Ela adora entrar no pau,
E fode dum jeito sacana.

Chupa uma pica dura,
Como se fosse um picolé,
Lambe da cabeça aos pés,
O macho que a leva pra cama.



Lhe oferta sua buceta,
Seu cu fica a disposição,
Ela punheta coma as mãos,
Gosta de gozo na greta.

Tem orgasmo quando a vara,
Entra e sai com ritmo forte,
Ela diz eu sou do norte,
Me come e me estraçalha.

Quando goza os dois juntos,
Ela lambe o gozo e chora,
E novamente lhe implora,
Me coma seu transeunte.

Poeta Miguel Jacó
Fogosinha, Ponto G feminino e Miguel Jacó

De 4 , que delicia


Me pega por trás, me aperta
Contra seu corpo, lambidas quentes
Em meu dorso, mãos passeando
Pelos aclives e querendo se perder nos declives.

Em relax total, me entrego e me derreto
Gosto do jogo do entra e sai,
Na luxúria do gozo que explode .
Gosto quando me penetra de quatro.




Do pau lambuzado
Deslizando no meio
Massageando o grelo.
Até que explodimos
Num gozo sincronizado.

Sinto-me fêmea e submissa
Quando montas em mim
Como cavalo com toda gana
De macho tarado.

Fogosinha

quinta-feira, 23 de março de 2017

Tua arma




Meu inferno é tua furiosa arma
Esta que carrega entre as pernas
Sempre tesa, sempre em forma
Faminta por minha caverna




 posição que leva ao céu

Escura caverna que lhe apetece
Que umedece a tua secura
Nela deságua o que lhe aborrece
Dos teus culhões a seminal fartura



Molha-me a boceta a tua leitada
Que com prazer nela me lambuzo
O teu prazer é ver a boca encharcada
Com o teu gozo tão profuso

Fogosinha

quarta-feira, 22 de março de 2017

Desejos insanos



Ela me despertava desejos insanos, quando usava leg justíssima eu ficava enloquecida, o talho da boceta era bem visível, parecia vestir-se daquela maneira por pura provocação. devido a minha timidez e, por nunca ter tido contato com mulher, pois sempre curti o hétero, eu não deixava transparecer meu desejo que recentemente vinha voltado para o bi-sexualismo.


Certo dia, convidou-me para irmos ao Shopping, na volta resolveu passar a tarde comigo. Deitei pra descansar do almoço, Carmem deitou do meu lado, depois de algum tempo foi ao banho, fiquei excitada pensando naquela xana enorme, uma vontade louca de ver ao vivo,  e ali contida par aminha surpresa ela sai do chuveiro ensaboada e me pede para depilar a xana, que xana linda, lábios carnudos, grelo rosado e muto peluda. Aceitei o convite, meu sexo latejou e molhou minha calcinha, enquanto eu depilava ela suspirava, obrigatoriamente tive que tocar seu grelo, deu um gemido, se contorceu e me pegou de jeito, tirou minha roupa e se pôs a esfregar a boceta na minha, o grelo era  enorme que gozei quando meteu na minha vagina, fez questão de chupar todo o meu mel, foi uma tarde bem prazerosa, um experimento que me realizou sexualmente.

fogosinha

Gozo na tua língua


Seu mastro me convida
quando teso e flamejante,
minha boca viceja,
minhas entranhas latejam,
que mais posso fazer
se não curvar-me ao falo rijo?

Brincar de entrar e sair,
Deixar-te louco de tesão,
A fenda inundada,
grita pelo prazer,
vou te massacrando,
teu gozo segurando,
te contorces como louco,
minha xana abocanhas,
derreto-me na sua língua,
grito ao seu ouvido,
Foda-me!



*******
Agradeço a magistral Interação do poeta Miguel Jacó, ficou gostosa e provocante...

Cada foda uma aventura,
Nossas carnes se apetecem,
Quando a noite escurece,
Eu já estou de pica dura,
Doido para te comer,
escutar você dizer,
Que sem mim nada é viável,
Que Tua buceta sonha,
Sendo comida e sugada,
Entre tantas madrugadas,
Também depois do almoço,
Durante aquela soneca,
Que os nossos desejos pecam,
E a foda é quase certeira,
Como é grande o nosso viço,
Ninguém tem a ver com isto,
Somos livres e democráticos,
Gozamos quando queremos,
Estando Juntos nos fodemos,
nosso querer é sensato.
(Miguel Jacó)
Fogosinha

Desejo


Um desejo febril
Abrasa meu ser
Não é nada sutil
Esse meu querer

É vontade de você
Das carícias quentes
Para ficar à mercê
Dos desejos presentes

Nossa imaginação
É insana sem pejo
Erotismo entra em ação
Nossos corpos um só desejo

Me fode  com maestria
Seu gozo é bem farto
Num ritmo de harmonia
Esporras um gostoso jato

Você um rio de luxúria
Eu, receptora das suas águas
Deságua sobre mim sua fúria
Com prazer afogamos-nos

Fogosinhz